Sobre o Curso:

No próximo ano, 2023, far-se-á 20 anos que fora promulgada a Lei 10.639/2003 alterando a Lei 9394/1996 que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), tornando obrigatório o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira nos espaços educacionais brasileiro, público e privado, perpassando todas as áreas do conhecimento, contribuindo para construção de currículos antirracistas e, assim, para uma educação múltipla, plural, inclusiva. Entretanto, sabemos que há uma luta contínua por sua implementação, assim, a maior parte das escolas e universidades desse país. Desse modo, o principal objetivo dessa especialização é contribuir com a formação docente, construindo possibilidades de ampliação do alcance da Lei 10.639/2003, da construção do fortalecimento e valorização de nosso pertencimento afro.

Carga horária de 450 horas.

Ampliar o alcance da Lei 10.639/2003 por meio da formação docente para o ensino das africanidades, elegendo as filosofias africanas como caminho para o ensino das relações étnicoraciais, tendo a ancestralidade e o encantamento como mediadoras dessa formação.

Estimulando à pesquisa acadêmica e à troca de experiências na área das relações étnico-raciais, com práticas em uma educação afrorreferenciada.

  • Formação docente para o ensino das africanidades;
  • Compreensão da pluralidade da filosofia por meio das filosofias africanas e
    afrorreferenciadas;
  • Desconstrução do racismo e epistemicídio negro;
  • Educação para as relações étnico-raciais;
  • Conhecer sobre currículos e metodologias afrorreferenciadas;
  • Ancestralidade e encantamento para potencialização do nosso pertencimento.

Perfil do Aluno

Professores e coordenadores pedagógicos.

Políticas públicas e história da educação - Dra. Vivian Parreira
Epistemologia e metodologia do trabalho científico - Dnda. Alessandra Masullo
Filosofia Africana Contemporânea: Correntes e perspectivas - Dra. Adilbênia Machado
Filosofia Africana: contribuições da cosmopercepção Bantu no diálogo sobre ciência e espiritualidade - Dnda. Lorena Oliveira
Oralidade e sabedorias ancestrais: Expressões culturais - Dnda. Alessandra Masullo e Dra. Vívian Parreira
Currículo e Metodologias para o ensino de filosofias afrorreferenciadas - Dra. Adilbênia Machado.
Filosofia africana com Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí - Dnda. Aline Matos
Pretagogia e Marcadores das Africanidades - Dra. Kellynia Farias
TCC - Dnd. Yuri Miguel Macedo

Local:

EAD com 1 encontro quinzenal ao vivo aos sábados.

Regulamento:

Alunos com ensino superior completo.

 

NOSSOS PROFESSORES

 

Adilbênia Machado


Doutora em Educação, Licenciatura Plena e Bacharelado em Filosofia.
Tem experiências na área de Filosofias Africanas e Educação atuando principalmente nos seguintes temas: Filosofias Africanas e Afro-brasileiras; Filosofias da Ancestralidade e do encantamento; Saberes Ancestrais Femininos; Formação, História e Cultura Africana e Afro-brasileira; Educação para as Relações Étnico-Raciais; Currículos e Metodologias Afrorreferenciadas; Filosofia Africana presente nos Adinkras.

Alessandra Masullo


Doutoranda em Educação Brasileira, pós-graduada em História e Cultura Africana e dos Afrodescendentes, e Serviço Social, Políticas Públicas e Direitos Sociais e Graduada em Serviço Social.
Possui experiência nas áreas de Serviço Social, Educação Popular, Educação Popular e Saúde, Educação para as Relações Etnicorraciais, Africanidades, Cultura, Juventudes. É brincante de Coco, de Ciranda e Maracatu Cearense.

Aline Matos


Doutoranda em filosofia na área de ontologias contemporâneas. Possui experiência no ensino de Filosofia e integra o GT de Filosofia e Raça da Anpof (Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia).

Lorena Oliveira
 
Doutoranda em Filosofia. É pesquisadora de Filosofias Afroperspectivistas, Filosofia Popular Brasileira e Educação para as Relações Étnico-Raciais.

Vivian Parreira


Doutora em Educação e Pedagoga Antirracista. Atua principalmente nos seguintes temas: Formação continuada, Relações étnico-raciais, Pretagogia, EJA, juventudes, educação indígena, educação e cultura popular.

Maria Kellynia Farias Alves


Possui doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2020). Pedagoga Antirracista, professora na Educação Básica da Prefeitura Municipal de Caucaia e professora substituta da Universidade Estadual do Ceará. Atuando principalmente nos seguintes temas: Formação continuada, Relações étnico-raciais, Pretagogia, EJA, juventudes, educação indígena, educação e cultura popular. Membra do Núcleo das Africanidades Cearenses-NACE/UFC e do Núcleo de Educação Popular ? CED/UECE, da Comissão Interinstitucional Educação Quilombola do Ceará e da Comissão Interinstitucional Educação Escolar Indígena CE. Encantada pelas estéticas ancestrais e de resistência.